Companhia ratifica regularidade em sua Rede de Distribuição


A Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) realiza constantemente avaliações técnicas em sua Rede de Distribuição de Gás Natural (RDGN), garantindo assim a integridade da infraestrutura em operação, que já ultrapassa 150 quilômetros de gasodutos implantados.


Recentemente houve diversos relatos sobre a ocorrência de forte odor, supostamente de gás, em diferentes bairros da cidade. Apesar de ser improvável que ocorra um vazamento capaz de produzir odor em locais diversos, sempre que há chamados neste sentido, a Cigás envia sua equipe técnica para averiguação de possíveis vazamentos, munida de equipamento denominado detector de gás, não tendo sido identificado nenhum vazamento de Gás Natural (GN).


A Companhia esclarece que o GN é mais leve que o ar e, portanto, em caso de possível vazamento, o gás se dissiparia rapidamente na atmosfera, evitando a propagação de odor e reduzindo significativamente os riscos de acidentes.


Frisa ainda que seria necessária a liberação de grande quantidade de Gás Natural para que seja percebido pelo odor, o que, por sua vez, causaria um intenso ruído no local do vazamento, o qual seria percebido e facilmente detectado por pessoas próximas ao local.


Segurança - O serviço essencial prestado pela Cigás de distribuição e comercialização de gás natural baseia-se em normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para a instalação de novas redes de distribuição e aproveitamento da rede existente nos clientes. Tais normas estabelecem os requisitos mínimos exigíveis para o projeto, execução e inspeção de redes de distribuição para gases combustíveis e para a instalação de equipamentos a gás.


Antes de iniciar o fornecimento de gás natural a clientes, a Companhia realiza detalhada inspeção da rede existente de modo a verificar se a mesma está apta, conforme as exigências normativas, que preveem desde ensaio de estanqueidade, adequações no ambiente não permitindo locais sem ventilação e a instalação de dispositivos de segurança.


Além disso, a Cigás conta com moderno Centro de Controle Operacional (CCO) para monitoramento e supervisão da Rede de Distribuição de Gás Natural, o qual pode ser acionado 24 horas por dia, todos os dias, inclusive fins de semana e feriados. Disponibiliza ainda o Serviço de Atendimento ao Cliente por meio do número de telefone 117.

Busca pela origem – A Companhia de Gás do Amazonas capitaneou reunião com representantes do Ministério Público de Contas (MPC), Defesa Civil estadual, Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados e Contratados do Estado do Amazonas (Arsepam) e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) no dia 12 de abril. A finalidade foi tratar sobre a adoção de ações no sentido de investigar a origem dos fortes odores que vem sendo sentidos em diferentes bairros da cidade.


Durante a reunião, a partir de análise de casos de odores similares em outras localidades, técnicos da Cigás sinalizaram a suspeita de que um composto odorífero, que pode ser encontrado em esgotos sanitários, sistemas de tratamento de fluentes, aterros sanitários, estações de tratamento de esgotos e inclusive, em indústrias principalmente de papel, possa ser a causa do odor. Essa substância é o sulfeto de hidrogênio (H2S) ou gás sulfídrico, que é incolor, possui odor semelhante ao composto odorante colocado no gás natural e é mais pesado que o ar. Os chamados relacionados a odor têm se concentrado nos finais da tarde e início da noite, em dias específicos da semana, atingindo principalmente a região centro-sul da cidade, os bairros Adrianópolis e Parque Dez, bairros que orbitam o Igarapé do Mindu e que são atingidos pelos ventos lestes.



Assessoria de Comunicação da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás): Izabelly Costa (98427-3270) e Lisângela Costa (98114-8785).